segunda-feira, 29 de junho de 2009

In München steht ein Hofbräuhaus, ein zwo, zufer!

Nossa.. como eu esperei por essa viagem!

Depois de 11 dias de trabalho ininterruptos, tive 2 dias de folga! Pois é.. eu sei que não e muito, mas já dá pra fazer alguma coisa... ainda mais com a "oncinha européia" extra que o Max me deu!.. heheh!
A Sophie chegou sexta no final da tarde em Breitenborn. Eu fiz a janta pra eles e me mandei pegar o último ônibus que saia de Breitenborn naquele dia (26.06.09). Fui pra Frankfurt e dormi lá no Rica pra que pudéssemos sair cedo pra München.
Saímos de Frankfurt no sábado (27.06.09) às 7:30 rumo à melhor cidade do mundo, hehehe...! Compramos o Wochenende-ticket e com ele só poderíamos andar com trens mais lentos. Fizemos 2 conexões, em Würzburg e Nürnberg, e chegamos em München às 13:00. É uma viagem longa, mas não muito mais longa do que de ICE (+-4 horas) não.
Ficamos do Euro Youth Hostel, o qual era muuito melhor do que aquele de Amsterdam. Na verdade, acho que foi um dos melhores em que eu já fiquei. Mas como não fomos pra München pra ficar o dia tudo no hostel, fomos explorar! hehehe.


Virtualenmarkt, Frauenkirche, Marienplatz, Asamkirche, Hofgarten,.. a maioria eu já havia visitado, mas München nunca é demais né! Confesso que fizemos essa parte relativamente rápido, já que um dos objetivos da viagem era o Hobräuhaus... e à noite foi a vez dele!
Voltamos pro hostel pra tomar um banho e não é que conhecemos uma menina da Estônia! Aí você se pergunta: onde é que fica a Estônia mesmo? É aquele país báltico vizinho da Russia, lembrou? Ela foi muito simpática, mal entramos no quarto ela já começou a conversar e resolvemos convidar ela pra ir no Hofbräuhaus conosco.

Quando chegamos, não estávamos conseguindo achar lugar pra sentar! Nos juntamos a 4 meninos ingleses numa mesa atrás da "pandinia" e foi lá que fizemos a festa! hehehe...

Aquele lugar é muito legal! A cerveja é muito boa! A música anima todo mundo e fui várias vezes pedir música pra "pandinia", hehe. Do lado da nossa mesa tinha um Opa Bayer beeem Bayer mesmo que, depois de um caneco daquele, virou meu amigo de infância! Huehuehue. Papo vai, papo vem, mostrei umas fotos da Schlake pra ele e ele ficou de boa aberta. Trocamos endereços e segundo ele ele vai me escrever essa semana... mal sehen! Figuraça o cara! Hahaha...


Fazia tempo que não me divertia tanto quanto me diverti nesse sábado. Sim, posso dizer que já fechei o Hofbräuhaus pelo menos um dia na minha vida! Hehehe... que venham os próximos! Que venha a Oktoberfest! =D

No domingo (28.06.09) dormimos o máximo que pudemos antes de fazer o check-out, tomamos café e fomos visitar o Allianz Arena! Gente, aquilo é enorme, lindo, super bem feito, e nem eu que sou "A" fã de futebol fiquei com vontade de ir assistir um jogo lá!



De lá fomos pro Olympiapark.. adoro esse lugar mas estava acontecendo o Sommerfest, ou alguma coisa assim, e quase não dava pra andar. Visitamos a BMW que fica lá do lado também, mas como não tínhamos mais muito tempo, resolvemos voltar pro centro, pegar as malas no hostel e ir pra estação. A volta foi tranquila Saímos às 17:10, mais duas paradas e às 22:30 estávamos em Frankfurt.

O final de semana foi um pouco cansativo mas valeu muito a pena!

München é tudo de bom mesmo... quem me dera poder morar lá depois de meu ano aqui com os Ysenburg.

Voltei hoje de manhã de Frankfurt meio desanimada, são mais 4 meses em Breitenborn. Mas isso sempre acontece depois que volto de viagem e demora uns 2 dias até eu voltar a me conformar, hehehe.

O que me deixa feliz é que nos próximos meses vou realizar meus principais objetivos na Europa: Noruega, Oktoberfest e (se Deus quiser) TestDaf! =D

Uma boa semana pra vocês!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

... e assim os dias vão passando...

... e a minha paciência se esgotando!

Preciso de folga. Já pedi o final de semana livre pro Max e acho que não vai ter problemas.

Na última sexta-feira (19.06.09), fomos pra Áustria, mas não pra Kitzbühel e sim pra Steyrling, perto de Linz. Um amigo do Max estaria batizando sua filha... convidou os Ysenburg... a Nina foi de lambuja né. Fui pra lá já conformada que teria um final de semana estressante, cheio de crianças ao meu redor e tal. Mas até que foi relativamente tranquilo. O que não foi tranquilo foi a viagem.. quase 600 km até lá e o Max andando à 180-230km/hr! Ficamos num Gasthaus lá... era o Gasthaus do Siggy, um amigo do Max.
O Siggy gosta mesmo é de encher a cara... e como todo austríaco, é muuuito mais simpático do que o alemão. 10 minutos depois que tinha conhecido o Siggy ele já estava abraçando! Só não sei se porque ele é austríaco ou se já tinha tomado umas, hehehe...

Conversando com a Sophie no outro dia, descobri que o tal batizado seria da filha de um outro príncipe aqui da Alemanha! Conversando um pouco mais... descobri que a família do cara tem um castelo lá perto de Petershagen, onde fiz intercâmbio há 7 anos atrás (meee, tô ficando velha mesmo!). Um pouco antes de eu voltar pro Brasil, fui visitar um castelo com a minha Gastfamilie em Bückerburg... esse é o castelo da família do batizado! A casa onde a festa de batizado aconteceu era a cabana de caça da família. Mas, na verdade, não era uma cabana e sim uma suuper casa!


A festa era a coisa mais chique do mundo! Champagne, um banquete de almoço e delícias austríacos pra tudo quanto era lado! Na hora do batizado mesmo, tinha um quarteto de cordas tocando! Não entendi bulhufas do diatelo do padre, mas quando o quarteto tocava fechava os olhos e aproveitava o momento, pois apesar de morar aqui, são poucas as oportunidades que tenho de escutar uma boa música.

Mas as festividades não acabam por aqui. Além do almoço no dia do batizado, ainda teria um jantar e uma festa muito da animada por lá, mas isso já não posso contar como foi. Fique sabendo dos principais acontecimentos da noite... tudo relacionado a grande ingestão de bebidas alcoólicas, o que não vem ao caso.

No domingo ainda teve um almoço com direito a 2 leitões do espeto e muita Volksmusik! Ahh se eu tivesse achado alguém pra dançar.. tive me contentar com a Madeleine nos meus braços :S



Não nos demoramos muito pro lá. A Sophie teria que pegar o trem em Linz pra ir até Viena, onde está fazendo um curso essa semana toda. E o Max tava com uma ressaca daquelas e não queria chegar tarde em casa... bom pra mim que pude estar no meu quarto de novo:D

Mas como nem tudo são flores, estou praticamente sozinha com as crianças essa semana. O Max esta sendo gente boa em voltar pra casa antes pra eu poder ir pra aula de alemão.

Agora já são 9 dias sem folga e já estou com os dois "Terroristen" "porraquí"!
O Tassilo chorou muito hoje... um misto de cansaço, saudades da Sophie e manha, que quase me deixou maluca! Perdi totalmente o controle e gritei tanto que minha garganta está ate doendo. Sei que não resolve nada e que quanto mais eu grito, mais alto e mais ele chora... mas na hora é a única coisa que consigo fazer...

Só mais dois dias, aí posso fugir daqui por 2 dias!
Vou com o Rica pra München!!! ÊÊêêê... ich freue mich schon drauf!
Aproveitar agora porque depois mesmo acho que só na Oktober pra comemorar meu aniversário =D Chaaato!.. hehehe...

Ontem fiz um agrado pra mim mesmo... cozinhei feijão! O pai tinha trazido um saco pra mim em maio e tinha esquecido ele no armário! Demorou um monte pra cozinhar já que aqui não tem panela de pressão, mas logo que ficou pronto comi um pouquinho! O resto congelei pra comer outra hora, hehehe. Nham, nham, nham!!!

Saudades do Brasil!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Amsterdã

É isso aí, é assim que se escreve Amsterdam em português! No meu guia eles ainda escrevem "Amsterdão", mas eu acho muito feio!..

Então, aí vai uma introdução:
Os Países Baixos são também — comumente, mas incorrectamente — denominados Holanda, que na verdade são duas de suas doze províncias, a Holanda do Norte e a Holanda do Sul. A forma plural os 'Países Baixos' em português é reminiscente dos tempos de quando o país ainda não era independente ou unido.
Em neerlandês (idioma também erroneamente denominado "holandês") o nome do reino europeu é Nederland, composto dos termos neder ("baixo") e land ("terra", "país") e cuja tradução literal seria País Baixo ou Neerlândia. A denominação é evidente, pois "Países Baixos" remete à situação topográfica da zona em que se encontra, formada por pântanos e planícies em sua maioria a poucos metros abaixo do nível do mar.
Amsterdã é a capital, e a maior cidade dos Países Baixos. Seu nome é derivado de uma represa (dam) no rio Amstel, o rio onde fica a cidade. A cidade é conhecida por seu porto histórico, seus museus de fama internacional, sua zona de meretrício (Red Light District), seus coffeeshops liberais, e seus inúmeros canais que levaram Amsterdã a ser chamada a "Veneza do Norte".
Alguns números:
Habitantes: 738,000, Bicicletas: 600,000, Canais: 165, Pontes: 1,281, Edifícios do século 16, 17 e 18: 6,800, Museus: 51.

Amsterdã, lar do "Ronda Noturna" de Rembrandt e do "Girassóis" de Van Gogh, possui mais museus por metro quadrado do que qualquer outro país do mundo! O Rijksmuseum é um lugar que não pode deixar de ser visitado, exibe a mais fina porcelana azul de Delft, acervo de prata, ícones da história holandesa e claro, as obras dos grande mestres da pintura do século 17, Frans Hals, Jan Steen, Vermeer e Rembrandt. O Museu de Van Gogh, tem a maior coleção de obras de Vincent Van Gogh. Outro museu clássico é o Museu da Casa de Rembrandt, que data desde 1606 e na qual Rembrandt viveu entre 1639 e 1658. A atração principal da Holanda é a Casa de Anne Frank. Localizada no centro de Amsterdã, onde se encontra o esconderijo no qual Anne Frank escreveu seu famoso diário durante a Segunda Guerra Mundial.
Saímos (o Rica e eu) de Frankfurt no dia 11.06.09. Na ida tivemos direito a uma parada de 40minutos em Köln e quando estávamos chegando, combinamos que se a catedral não ficasse muito longe, iríamos visitá-la. Pra nossa surpresa, a estação de trem de Köln fica literalmente do lado da catedral e não tivemos dúvidas de ir até lá! Mas começou a chover forte e resolvemos deixar as fotos externas pra mais tarde e entramos na catedral. Adivinhem o que tinha lá?? Missa, claro! Primeiro fiquei P* da vida porque não poderíamos conhecer a catadral direito, mas depois até gostei... nem tinha percebido, mas aquela era a missa de Corpus Christi. A catedral é enorme! Linda! Mas não nos demoramos muito não já que o tempo estava curto. Fomos pra fora e tiramos umas fotos na chuva mesmo, hehehe.
Pegamos o trem até Amsterdã e chegamos lá às 13:30. Fomos pro Hostel (que susto de hostel! Hehehe..), largamos as coisas lá e fomos comer já que a unica coisa que havíamos comido era um bretzel na saída de Frankfurt :S...
Já de barriga cheia, pudemos raciocinar melhor e lá fomos nós nos aventurar pelo país onde não tudo, mas muita coisa é liberada. Confesso que fiquei assustada no começo.
Hoje em dia a maconha é descriminalizada em alguns países, como os Países Baixos ou o Canadá, neste último apenas para uso medicinal, pois adotam políticas de tolerância em relação aos usuários, os quais não são presos. Nos Países Baixos, é nos coffeshops onde a venda de maconha e haxixe para consumo pessoal é tolerada pelas autoridades locais.
Sob a política de entorpecentes dos Países Baixos, a venda e o consumo de produtos feitos com cannabis e substâncias similares são tolerados e permitidos dentro dos cofeeshops devidamente licenciados. Além da venda destes produtos, a maioria dos coffeeshops também vendem comidas e bebidas.
O que isso tudo significa?? Sim, a maconha (e somente a maconha) é liberada para consumo individual, DENTRO dos coffeshops. A venda dela fora dos coffeshops é ilegal, assim como a venda de qualquer outra droga. Ou seja, não é liberado liberaaaaado... tem sim suas restrições. Mas como nada é perfeito, essa liberação é entendida (as pessoas fingem que não sabem né...) de outra maneira. Não foi uma nem duas vezes que nos ofereceram droga na rua, e não era só maconha não.


Como todos sabem, Amsterdã também é conhecida pelo Red Light District... esse mesmo, o Bairro da luz vermelha! É engraçado andar por lá... do mesmo jeito que tem aquelas mulheres linda, tem aquelas desbarrancadas (claro que essas não estão nas "melhores" vitrines). Qualquer tentativa de fotografar é repreendida. Eu nem tentei tirar nenhuma pra não correr o risco, hehehe...
A prostituição em Amsterdã começou a despontar no século 13, quando a cidade emergiu como porto. Em 1478 ela já estava tão disseminada que foram feitas tentativas para contê-la. As prostitutas que eram encontradas perambulando fora da zona de confinamento eram levadas de volta a força. Um século mais tarde, os calvinistas tentaram regulamentar a prática, sem muito sucesso, até que, a partir da metade do século 17, a prostituição começou a ser abertamente tolerada. Em 1850 Amsterdã contava com 200 mil habitantes e mais de 200 bordéis, a maioria sustentados por seus ricos clientes.
Mas como ia contando, fomos dar uma volta e nos aventurar dentre os canais de Amsterdã. A cada ponte por onde passávamos era uma parada pra duas fotos, uma de cada lado da ponte. Depois de algumas pontes, percebemos que passaríamos por incontáveis pontes e canais durante os próximos 3 dias e resolvemos admirar mais e fotografar menos, hehehe.

No segundo dia da nossa aventura no país onde quase tudo é permitido (12.06.09) pensamos em fazer a parte cultural da viagem, hehehe. Fomo até Leidsplein e lá pro Museum Van Gogh! Eu amei!... desde o primeiro quadro que vi virei fã desse cara! Hehehe... As cores, a técnica, as idéias,... é totalmente diferente do que ver o quadro "Quarto em Arles" impresso numa apostila! O cara era "o" cara! Sua vida foi marcada por fracassos. Ele falhou em todos os aspectos importantes para o seu mundo, em sua época. Foi incapaz de constituir família, custear a própria subsistência ou até mesmo manter contactos sociais. Aos 37 anos, sucumbiu a uma doença mental, suicidando-se.

Ao lado do Museum Van Gogh fica o Rijksmuseum. Ele é enorme! Por isso resolvemos não visitá-lo, hehehe. A paciência não estava lá aquelas coisas pra visitar ela. Quem sabe na próxima visita a Amsterdã. Ao invés do Rijksmuseum, fomos passear no Vondelpark e depois procurar alguma coisa pra comer. Já estávamos quase entrando num MacDonalds quando avistei uma bandeira do Brasil no meio da poluição visual das mil e uma placas de restaurantes ao redor da Leidsplein! Fomos dar uma olhada no cardápio e tinha de Guaraná à moqueca de peixe! Fique maulca né.. depois de 7 meses sem feijão, arroz, aipim frito e Guaraná foi bem isso que comi =D Não sei se a minha vontade era tanta, mas pra mim aquele almoço foi o melhor dos últimos meses! Hehehe. Primeiro detalhe: que não tinha niguém no restaurante! Simplesmente vazio, por isso não estava esperando muito da comida também. Segundo detalhe: os donos não eram brasileiros, mas sim indianos. :S

Como saímos "rolando" do tal restaurante, resolvemos fazer um passeio de barco pelos canais de Amsterdã. Esse é um passeio legal pra se fazer já no primeiro dia de passeio pela cidade. Apesar de Amsterdã ser uma cidade fácil de se andar (pelo menos, quando se está sóbrio, hehehe...) o passeio é legal porque eles dão algumas informações sobre a cidade e passam por vários pontos importantes que ficam na beira dos canais.


Depois do passeio, a idéia era ir atrás do HEINEKEN EXPERIENCE, um tour pela antiga fábrica da Heineken com direito a alguns copos de Heineken durante a visita. A tal fábrica não fica num lugar muito fácil de achar (pelo menos praqueles que nunca estiveram lá) e quando finalmente a encontramos, o último tour do dia já tinha começado. A moça que nos atendeu foi bem simpática e nos deu um vale de 20% de desconto pro tour que poderíamos fazer no outro dia.
A volta pro hostel foi de bonde mesmo... havíamos andado muito e resolvemos no poupar já que a intensão era sair à noite. Mas também não fomos muito felizes nessa investida... não sei se foi o dia o ou lugar errado, mas tivemos que voltar pra perto do hostel pra conseguir achar um lugar +/- pra sair.
*** só voltando no assunto "bonde": aqui, a regra "transporte público pra brasileiro na Europa é de graça" não vale. Na maioria dos bonde que pegamos tem um cobrador na porta o que impede a utilização dessa regra. Hehehe...***
O nosso último dia em Amsterdã (13.06.09) foi mais tranquilo. Como ir pra holanda e não ver um moinho de vento é quase como ir pra Roma e não ver o Papa, nós fomos tratar e procurar um. Tem um moínho na cidade de Amsterdã, mas logo que chegamos lá ficamos um tanto desapontados. Ele está desativado e é mais um ponto turístico do que qualquer outra coisa. É legal, mas pra quem tem mais tempo na Holanda e quer ir pro interior, não vale a "pernada", já que ele fica meio longe dos outros pontos turísticos.
Pegamos um bonde de lá até a Leidsplein, almoçamos e fomos pra fábrica na Heineken.
Essa não é uma atração muito barata não (15 euros, sem desconto), mas é muito legal. Eu achei que vale a pena, até praqueles que não gostam de cerveja. O tour conta a história da Heineken, mostra como a cerveja é produzida e como ela se "sente" quando é produzida (essa parte é legal, hehe..), dá a oportunidade de gravar vídeos e fazer fotos engraçadas (o vídeo que postei é de lá :D), ver comerciais antigos da Heineken e, a melhor parte, degustá-la! Lógico que depois de toda essa lavagem cerebral e puxação de saco da marca Heineken, tem uma lojinha! É isso mesmo, e é difícil alguém sair de lá sem a tal sacolinha!... huehuehue...
Um dos principais pontos turísticos de Amsterdã, é a casa da Anne Frank. Havia fila dobrado a esquina e esperamos +/- 30 minutos até que conseguimos entrar lá. A casa virou um museu, mas praticamente todos os móveis foram retirados e só ficou aquele ar pesado lá dentro. Acho que fiquei mais impressionada por já ter visitado Auschwitz, mas a maioria das pessoas que vão lá não tem noção do que a familia Frank viveu.
No domingo, dia 14.06.09 fomos visitar uma vila, perto de Amsterdã, onde nós pudemos ver os famosos moinhos holandeses de perto! O lugar se chama Zaanse Schaans e é super fácil de chegar, partindo de Amsterdã (40-50 minutos de ônibus e a passagem custa 5 euros, ida e volta. Perguntas: Ponto de informações turísticas na frente da Estação Central).

Passamos o dia por lá. Há vários moinhos e é um lugar calmo e agradável. Tem restaurante, lojinha de souveniers com direito a demostração da fabricação dos tradicionais tamancos de madeira holandeses (Klompen) e um museu que conta a história do lugar. Bem legal e recomedo pra quem quer sair um pouco da cidade e respirar um pouco de ar puro =D
De volta a Amsterdã, fomos direto pra Estação esperar o nosso trem. Chegamos em Frankfurt às 23hrs super cansados e desanimados sabendo que o próximo dia era segunda-feira :S
No mais, me diverti bastante... que venham as próximas!

Fontes: Wikipédia e Visite Europe.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Prévia de Amsterdam

Como ainda não tive tempo de pensar no que vou escrever, vai aí uma prévia só pra deixar vocês com água na boca.

Nesse vídeo dá pra se perceber que nos divertimos muito por lá! hauhauah...

video
beijos!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Olá espectadores!

Cá estou eu um tanto P* da vida!... Faço tanto pra não deixar ninguém descontente, ganho uma folga, trabalho um pouco menos, ganho outra folga (o.O, vá entender!), trabalho menos ainda, e ganho uma cara emburrada! Juro que nessas horas tenho é vontade de largar mão de cuida de criança, cozinhar, limpar, e me mandar pra cidade grande, fazer um curso decente de alemão,... VIVER!

Apesar de receber uns agrados de vez em quando, esses momento de estresse são relativamente frequentes. Mas como disse, às vezes recebo uns agradinhos, e isso aumenta a pontuação dos Ysen. Agrados do tipo: semana passada o Max foi no mercado e comprou o pão que eu gosto, só pra mim:D; Ter recebido um adicional no meu salário de maio, apesar do Max estar me devendo 20 euros do mês passado e de achar que o meu salário é um tanto (menos do que o real, claro...), enquanto é beeeem outro. No final dessa pequena reflexão, o adicional que eu recebi foi de 10 euros. /o/

Além desses pequenos acontecimentos, o tempo em Breitenborn no final de semana não estava lá aquelas coisas. Estava bem a la "neblina da 25" com aquela chuva chata que não para nunca. Confesso que AMEI que bem no meu dia de folga o temo estava assim! Juro mesmo... estava me sentindo em São Bento, sem precisar me preocupar com nada, bem sossegada. Mas claro, que no final de um dia como esse, eu estava muuuito triste! De repente me bateu umas saudades imensas do Brasil e então surgem aqueles diabinhos em cima da minha cabeça que ficam tentando me convencer de voltar pro Brasil e ficar por lá mesmo. Mas no outro dia eles já tinham ido atazanar outro coitado com saudades de casa e eu me senti melhor.

O acontecimento da semana por aqui foi o Europa Wahl - as eleições parlamentares européias. Só dava isso na rádio, TV, ônibus, mas não vi ninguém fazendo campanha ou tentando convencer o outro a vitar em tal candidato... tudo o que falavam era sobre onde encontrar informações sobre as eleições e os candidatos. Eu até tentei conversar com a professora no curso de alemão sobre isso, mas os alemães tem medo de provocar conflitos ao falar de política e acabei ficando sem alguma resposta concreta. Resolvi conversar com o Max, mas ele também não me indicou ninguém... mas quando eles estava indo pro trabalho na sexta-feira, ele escutou a propaganda de um site na rádio e me ligou pra ue ir dar uma olhada. Lá dava pra fazer um teste (perguntas fáceis e meio gerais) pra ver em qual partido as opiniões de cada um se encaixa melhor. Eu, como cidadã alemã, fiz o teste pra ter uma noção se a minha escolha tinha sido a correta se comparada com a minha opinião pessoal. E não é que deu certo! hehehe...

No domingo lá fui eu, toda orgulhosa, votar pela primeira vez como alemã! Aqui (pelo menos pras eleições parlamentares européias), se vota no partido e não em alguém, o(s) qual(is) é(são) escolhido(s) pelo próprio partido. Ahh e nada de urna eletrônica não! É na cédula mesmo... e que cédula! E adivinhe o que era a urna? Uma lata de lixo! Hehehehe... Mas uma dessas bonitinhas aqui da Alemanha! =D


Bom, demais novidades:

1. Comi melancia no final de semana! Gente, ela era do tamanho de um melão, quase, sem semente e doce! "De lambê os beiço!" heuheuehue...

2. Hoje fui pra Frankfurt com a Sophie e com as crianças. Tive umas horinhas de folga e encontrei o Rica no Palmengarten. É um parque cheio de estufas com plantas tropicais! Beeem legal, vimos até victoria régia lá! XD

3. Estou indo pra Amsterdam com o Rica na quinta! ÊÊêêê, dessa vez não preciso viajar sozinha! XD.. Volto só na segunda pra casa.

4. E sabem pra onde vou no verão??? Tchã, nã, nã, nããããã... NORUEGA! É o primeiro lugar da minha lista aqui na Europa. Encuquei com a Noruega desde que não consegui ir pro Alasca ano passado de Vancouver (preços absurdamente absurdos!). Eu sei que não é a mesma coisa, mas tem suas coisas em comum... e vamos combinar que aqueles Fiordes são o bitxo! XD...


Tenham um ótimo feriado e até semana que vem!

sábado, 6 de junho de 2009

Áustria e Alemanha

Terminando os relatos das viajadas de maio...

Bom, saímos de Florença no dia 16.05.09 cedinho rumo ao norte da Itália (sul do Tirol). Todo o caminho foi lindo! Acho que já escrevi sobre isso aqui, mas acho incrível como a arquitetura pode mudar tanto na Itália! A alguns quilômetros da divisa com a Áustria, as casinhas típicas tirolesas já podem ser avistadas penduradas nos morros ao lado da Autobahn. E a Autobahn, Mensch (!), literalmente no meio dos Alpes! E as cidades láááá em baixo nas margens daquele riozinho que nasce nos Alpes (que tem aquela água feeeeia XD) e algumas casinhas penduradas nos morros... lindo! Eu amo o Tirol =D

Chegamos em Innsbruck pelas 14 horas e fomos dar uma passeada a pé pela cidade e achar um lugar pra comer. Nem me lembro o que eu comi, só lembro que eu tava verde de fome e o restaurante tinha esquecido de fazer os nossos pratos! Claro que eles não nos contaram isso né, mas deduzimos depois que a comida demorou mais de meia hora pra ser servida!

Depois do almoço, passamos na frente do ponto turístico principal da cidade, o Telhado Dourado, e lá mesmo, ao ar livre, havia uma orquestra animando o calçadão. Esse é o tipo e coisa que acontece muito na Europa, principalmente na Áustria. Deu saudades de tocar flauta...


Innsbruck é uma cidade no oeste da Áustria, capital do Estado do Tirol. Ela é atravessada pelo Rio Inn, de onde tem seu nome. A palavra bruck tem sua origem na palavra de língua alemã Brücke, que significa "ponte", o que leva a cidade a chamar-se "Ponte do Rio Inn". Localizada no vale do Inn, a cidade está no meio de altas montanhas, como o Nordkette (Hafelekar, 2.334 m) ao norte, o Patscherkofel (2.246 m) e o Nockspitze (2.403 m) ao sul. Innsbruck é um renomado centro de esportes de inverno, sendo que sediou as olimpíadas de inverno nos anos de 1964 e 1976.

Com só tínhamos aquele dia pra passear por lá, fomos procurar o hotel e colocar nossas coisas no quarto. Muito legal lá... pequeno. MUITO confortável e, o melhor, barato! Hehehe.. pra quem for pra lá, recomendo muito: “Hotel Schwarzer Bär”.
Não planejamos nada pra fazer por lá, por isso só caminhamos pelas ruas da cidade. Tomamos uma “Augustiner”, caminhamos mais um pouco e achamos os jardins do Hofburg, um belo parque pra se fazer um passeio agradável.

Não que estivéssemos com fome, mas resolvemos comer alguma coisa antes de voltar pro hotel. O prato escolhido foi o Kaiserschmarr’n mit Zwetschmarmelade und Kaffee! Yumyyyy!!.. Uma espécie de panqueca cortada em pedaços servida com geléia de ameixa. Esse é um prato típico do Tirol e sempre como quando vou com os Ysen pra Kitzbühel. Mas lá a geléia muda pra damasco, o que também é delicioso!

No dia seguinte (17.05.09) reservamos pra passear entre Innsbruck e München. É nessa região que fica o famoso Castelo Neuschwanstein e o Zugspitze, o ponto mais alto da Alemanha. Além de ser uma região linda pra simplesmente passear! O objetivo principal do dia seria o Neuschwanstein, já que estávamos com medo de pegar muita fila, visto que estaríamos lá num domingo. Mas ao contrário do esperado, correu tudo bem. Só se pode entrar no castelo com visitar guiadas e não precisamos esperar muito pra visitá-lo. Existem várias possibilidade pra ir até o castelo: de ônibus, charrete ou a pé. O que fizemos foi subir de ônibus e então voltamos a pé. A volta foi bem rápida, acho que uns 15 minutos, mas pra quem sobe não é muito agradável não... e sempre tem aqueles sedentários que se arriscam e chegam lá em cima de língua de fora, hehehe!


O Schloss Neuschwanstein (castelo ou palácio Neuschwanstein, "novo cisne de pedra") é um palácio alemão construído na segunda metade do século XIX, perto das cidades de Hohenschwangau e Füssen, no sudoeste da Baviera. Foi construido por Luís II da Baviera no século XIX, inspirado na obra de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner. A arquitetura do castelo possui um estilo fantástico, o qual serviu de inspiração ao "castelo da Cinderela", símbolo dos estúdios Disney.

O castelo é bonito mas, na minha opinião, a fama é mais pelo lugar onde ele está e por ele ter sido construído pelo Ludwig II, do que pela sua beleza. Segundo o meu pai, a visita ficou mais curta (aprox. 30 minutos ) comparado com a visita que ele havia feito há 11 anos atrás. O que é perfeitamente compreensível já que a quantidade de pessoas que visitam o castelo também aumentou. Se você for até lá, conte com pelo menos uma hora de “espera” entre a compra do ingresso e a entrada no castelo. É o tempo suficiente pra dar uma volta antes de subir até o castelo, pegar o ônibus e esperar um pouco até chegar a hora da sua visita. Na volta, você pode almoçar em um dos restaurantes aos pés do castelo.. lindo!
Ainda no domingo fomos pra região do Zugspitze, mas não subimos lá. O ticket simples de ida e volta até o topo custava uns 30 euros, e resolvemos não subir só pra tirar uma foto e dizer que já estávamos n ponto mais alto da Alemanha, hehehe. Ao invés disso, passeamos de carro pela região... montanhas, lagos, e havia até um pouco de neve nas montanhas ainda:) Mas não nos demoramos muito pra seguir viagem até München porque não queríamos chegar a noite lá.

Logo que chegamos lá, fomos procurar algum lugar pra jantar (apesar de não ter fome alguma...) e foi então que tomei minha primeira cerveja em München XD.. Ohh du lieber Löwenbrau! Hehehe...

Dia 18.05.09 acordamos cedo e fomos pro centro de München de S-bahn. Descemos na Marienplatz. Visitamos a Frauenkirche, subimos na torre da igreja de onde se tem uma vista legal do centro da cidade. De lá seguimos pro Deutsches Museum. Ele não fica bem no centro mas é uma caminhada legal pra quem gosta de sentir o clima da cidade. Esse museu é enorme! Acho que passamos umas 3 horas lá dentro e vimos quase tudo correndo. Aconselho àqueles que queiram conhecer o Deutsches Museum que vão direto aos pontos de interesse pessoal ou, se tiverem tempo (e saco...), que passem o dia por lá. Tem restaurante e tudo lá dentro! Caso você não seja daquele tipo de pessoa que está afim de passar o dia todo em museu, eu me recordo vagamente de ter visto um ingresso especial do tipo “válido por 3 dias”, ou alguma coisa assim. Se você realmente quiser conhecer o museu todo com calma, acho que esse é o melhor jeito, sem se cansar de passar tanto tempo em museu, hehehe. E qual é a minha opinião? Eu amei esse lugar! Principalmente a parte de farmacologia e química XD. É muito educativo! Praqueles que se interessaram, aí vai:

O Deutsches Museum é o museu alemão dedicado às Ciências. Foi fundado em 1903 e abriu as suas portas pela primeira vez, em 1906, com exposições em salas ainda permanentes, pois o edifício principal só foi inaugurado em 1925. Ficou muito danificado durante a 2ª Guerra Mundial e só reabriu em 1948, três anos após o fim da Segunda Grande Guerra. Neste mesmo ano, abre uma outra sala dedicada às Ciências e à Aviação. Hoje em dia, o propósito deste museu é proporcionar aos visitantes e aficcionados fácil acesso à compreensão das Ciências Naturais e do avanço tecnológico e científico.
No que respeita as colecções é essencial referir que, neste museu, existem mais de 18.010 objectos catalogados em cinquenta categorias, entre elas "Técnica" e "Ciências Naturais", expostas no edifício principal. Importante referir que a biblioteca do museu monopoliza cerca de 850.000 livros e textos originais, de grande valor histórico e cultural.

Saindo do Deutsches Museum, voltamos pro centro e fomos almoçar na Paulaner! Ahh que sonho de lugar! Seria garçonete lá fácil, fácil! Mas daquele tipo né, um pra você, dois pra mim! Hauhauhau...

Continuando as passeadas, visitamos o Viktualienmarkt, onde se pode encontrar frutas do mundo todo. Coisas inimagináveis de se encontrar na Europa tipo Sirigüela, uma fruta típica do nordesde, por um preço módico de 5-6 euros/100g! (E pensar que em Natal se compra um quilo por 1-2 reais!Hehehe...)... mas lá tudo é caro, até as frutas comuns daqui.
Outro lugar interessante é o Hofgarten, o jardim do Residenz. Mas tivemos que sair de lá meio correndo porque começou a chover.. e o jeito foi nos abrigarmos no lugar mais esperado da viagem (pelo menos pra mim, hehehe), o Hofbräuhaus!


Foi fundada em 1589 pelo Duque William V da Baviera para evitar ter que comprar cerveja da baixa Saxônia, sendo de uso exclusivo do Duque. Apenas em 1828 a cervejaria foi aberta ao público. Em 1897 o edifício foi refeito quando foi movido para o subúrbio da cidade. Na Segunda Guerra Mundial toda a estrutura da cervejaria foi destruída num bombardeio, porém foi reconstruída em 1958.
Em 24 de fevereiro de 1920 Adolf Hitler organizou a primeira das muitas campanhas de publicidade e propaganda do Hofbräuhaus. Durante esse evento foi organizada as regras e idéias do partido nazista.
Seu cardápio caracteriza os pratos típicos da Baviera, como carne de porco, joelho de porco e vários tipos de salsichas, como a Weisswurst (salsicha branca). O tipo de cerveja mais tradicional é a Helles, servido em um caneco conhecido como Mass.
Sua cerveja é muito conhecida e procurada pelos turistas que visitam Munique. A música típica alemã é tocada sem pausas durante todo o dia (Olha aí o Wikipédia mentindo! Hehehe...), transmitindo a forte cultura bávara. A cervejaria ainda possui um hino próprio, composto em 1935 por Wilhelm 'Wiga' Gabriel e diz "In München steht ein Hofbräuhaus, eins, zwei, g'suffa!"

Eu quase enfartei quando entrei lá! Sentamos numa mesa bem perto da bandinha, pedimos um Maß e uns Bretzel e ficamos só curtindo o lugar! Foi muito legal! A bandinha mais bebia do que tocava... tocavam 3 músicas e faziam 10 minutos de pausa:S Mas tudo bem... quase chorei quando eles tocaram uma música que a gente dança no Jäger (não me perguntem qual, porque não me lembro mais)! Eu trabalharia lá fácil também! Quer dizer, o trabalho em si não seria ao fácil, já que lá não tem caneco de 1/2 L, só Maß (1L) mesmo! Acho que vou começar a fazer umas flexões e me candidatar a garçotene na Oktober! Hauhaua..
Quando estávamos quase indo embora, sentaram mais 4 pessoas na nossa mesa... adivinha da onde? Do Brasil, claro! Parece praga! Hehehe..
Só nos restava voltar pro hotel e descansar bem pra aproveitar bem as últimas de sossego antes de voltar pra casa!

Começamos o nosso último dia de viagem (19.05.09) com uma visita ao Residenz, antiga residência dos reis da Baviera. É o maior palácio urbano na Alemanha, servindo, atualmente, como um museu de decoração de interiores, considerado um dos mais belos da Europa. Também abriga uma sala de concertos, a Casa do Tesouro Real e o Teatro Cuvilliés. O complexo é composto por dez pátios e o museu por 130 salas.


De lá fomos pro Olympiapark. Construído para os Jogos Olímpicos de 1972, este vasto parque de esportes pode ser visto de quase todos os pontos de Munique, pois abriga uma tore de televisão de 290m, a Olympiaturm! Subimos lá e a vista é realmente incrível! O elevador que leva o pessoal lá em cima atinge uma velocidade de 7m/s!
O estádio conta com três grandes áreas: o Olympiastadium, com lugar pra 62 mil espectadores, o Olympiahalle e o Schwimmenhalle. Consideradas umas das construções mais originais da arquitetura alemã do século 20, todas as três são fechadas por coberturas transparentes, sustentadas por mastros altos que dão aspecto de tenda.
O complexo esportivo fica ao lado do lago artificial do parque. Em frente, há uma colina construída com pedras removidas da cidade após os bombardeios da guerra.

Voltamos pro centro e almoçamos na “Augustiner”, a cervejaria mais antiga de München, fundada em 1328. Foto: Augustiner na Oktoberfest, 1890.



Foi então que tivemos que voltar pro hotel, pegar o carro e entrar na Autobahn...
É, acabou-se o que era doce... só me restava voltar pra casa, terminar de colocar as coisas na mala do pai e me preparar pros próximos dias que seriam um tanto quanto estressantes, já que o Tassilo havia acabado de voltar do hospital e a Schützenfest em Büdingen estaria por vir.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Nas últimas semanas...

Olá pessoas!

Bom, faz tempo que não posto sobre a minha vida "breitenbornense" portanto, vou fazer um post dinâmico, com tópicos, sem muita enrolação. Até porque não tenho a menor idéia se alguém lê esse blog e eu posto aqui mais pra eu poder ler depois XD. Mas aos que lêem, não se sintam ofendidos e se divirtam com as "rapidinhas da Nina" ! Hehehehe...
* Tassilo: há um mês atrás, o Tassilo foi picado por uma abelha na mão (é o que se imagina) e o ferrão que ficou lá dentro foi tirado pelo médico. Antes de eu sair de férias com meu pai, o Tassilo estava com febre alta e quando a Sophie voltou de viagem, vimos que a mãozinha dele estava inchada e ela levou ele no médico. Eu fui viajar e o Tassilo também. A febre não baixava e ele teve que ser internado em Frankfurt. Foi operado na mão (tava muito inchado mesmo!) e também na bacia, onde foi identificado outra infecção que não deixa o coitadinho andar! Sofreu um bocado, ficou 1 semana no hospital, mais uma tomando antibiótico em casa e com curativo na mão... Agora já está tudo fechado e os pontos também já foram tirados.
* Pós-viagem com o pai: Saldo da viagem = dois quilos a mais pra minha coleção :S. Logo que cheguei em casa comecei mais um regime. Emagreci os dois quilos em uma semana! Mas aí veio o final de semana louco da Schützenfest e não consegui mais me segurar.

* Schützenfest: muita gente aqui em casa. Quase fiquei maluca mas sobrevivi! Fui ver a festa no domingo e era uma mistura de mini-Schlake com Tiro de Rei, mas beeem menos agitada. Também tem um "prêmio" pro melhor atirador (der Ritter). Mas é um prêmio que ninguém quer.. quem ganha, tem que pagar almoço e bebida pra tudo mundo que tá lá na festa na segunda-feira (feriado em Hessen)... pelo que o Max me falou éssa brincadeira custa 2-3 mil euros! O clube de tiro faz uma poupança pra ajudar o ganhador, mas ele só ganha o dinheiro se tiver contribuído. O Max estava com medo de ganhar esse ano, só falava disso no domingo, mas no final das contas ficou em 10 só! UFA! Hehehe...


* Schlachtfest: fiquei chocada com a notícia do cancelamento da festa desse ano, mas depois entendi o motivo... a festa não seria tão boa mesmo sem a pessoa mais importante: EU! hauhauahuah... Mas não se preocupem, quem sabe ano que vem eu estarei no Brasil! =D

* Jäger Volkstanzgruppe: PARABÉNS PELO BAILE! Uma pena que não posso estar com vocês nessas datas especiais!...


* Caminhada: a minha "pista" de caminha tá realmente diferente... tem mato pra tudo lado! Hehe. Além disso, comecei a caminhar a noite agora. Quando não consigo ir de manhã, essa é a segunda opção. Está escurecendo realmente tarde por isso posso ficar até às 22hrs fora de casa tranquilo.

* Caminhada + mosquito: esse é um problema que não tenho quando vou caminhar de manhã. Como o caminho da minha caminhada é do lado do "riozinho" de Breitenborn, vocês podem imaginar a quantidade de mosquitos que tem por lá! São nuvens de mosquitos grandes e gordos só esperando pra me picar!
* Mosquitos + Forsthaus: não tem mosquito aqui em casa! E isso que estamos apenas a alguns metros do tal "riozinho" e de uma lagoa. A teoria do Max é a presença de algumas árvores de nozes no jardim. Eu não consigo ver a relação nisso, mas também não desenvolvi nenhuma outra teoria a respeito.

* Jardim + cerejas: elas já estão ficando vermelhas! Os passarinhos descobriram elas e a impressão que tenho é de que não vai sobrar nada pra gente quando elas realmente estiverem boas pra comer.

* Jardim + rosas: o orgulho do Max. Elas realmente estão lindas!

* Jardim + 30ºC + almoço: em 90% das vezes em que um alemão fala em almoçar fora, ele se refere ao jardim mesmo! Hehehehe. O final de semana todo foi com café, almoço e janta no jardim. Aquele sol de 30ºC e a "alemoada" branquela torrando. Eu, muito consciente do perigo, sempre na sombra. E lá vem um comentário do Max: "Um 'solzão' desse e a única sul-americana na sombra!". Tô fora de ficar vermelha né! hehehe...
* TestDaf: comecei meus estudos preparatórios pro TestDaf, um teste de proficiência que vou prestar em julho. Ele é necessário pra quem quer tentar uma vaga na Uni na Alemanha. Será difícil de passar já em julho, mas vou tentar mesmo assim. A minha última chance é em novembro, quando realmente tenho que passar pra que possa concorrer a uma vaga pro próximo semestre de verão (abril).
* Música: por indicação da Bebel, acessei um link de uma banda alemã e amei! A cantora é alemã mas ama música brasileira... canta em português e tudo! Comprei um CD dela (Dota & die Stadtpiraten) semana passada. Aí vai o myspace deles pra quem interessar: http://www.myspace.com/dotaunddiestadtpiraten
* Literatura: finalmente achei um livro que estava querendo desde que cheguei na Alemanha: "Into the Wild". Já tinha visto o filme no Brasil e fiquei de cara com a história. Admiro muito o espírito aventureiro do Alex =D. Mais informações: http://www.intothewild.com/

* Felicidade: depois do da visita do meu pai, quem vai morar em Frankfurt nos próximos meses é o meu primo Ricardo:D.

* Folga: depois de quase duas semanas trabalhando direto, tirei um dia de folga. Fui pra Frankfurt visitar o Rica e tomar aqueeeela Paulaner com ele! Huehuehue...

* Folga 2: Feriado da semana que vem = FREI! Vou viajar pra algum lugar com o Rica.. só ainda não sabendo pra onde!... Mas isso é só um detalhe, hehehe.


Por hoje é só!
Espero ter ânimo de escrever a última parte da viagem com meu pai (a minha preferida) o quanto antes...


Liebe Grüsse!