sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Visitando os parentes na Suíça

Ahh, como é bom sentir aquele energia boa, se sentir acolhida, querida e em casa! É por isso que gosto tanto de visitar minha "prima" querida na Suíça. Na verdade ela é prima do André mas a gente se entende tão bem que decidimos que vamos ser primas também. Hehehe...


Quando vou pra lá não espero fazer nenhum programa diferente, porque estar lá já é entrar num mundo totalmente diferente, viver dias únicos e esquecer da vida real. Mesmo assim, resolvemos ir no cinema 2 vezes: uma no cinema normal e a outra no Kino am See do lago de Zürich, onde ao entardecer a tela do cinema é montada em cima da água e uma arquibancada nas margens do lago. Nós compramos os ingressos numa correria e nem vimos direito que filme que estaria passando naquela noite, a única coisa que vimos foi que era um filme com Matt Damon e Michael Douglas e que se passava nos anos 70. O nome do filme era "Liberace" e se colocar o este nome no youtube vai entender porque ficamos chocadas com o filme, algo totalmente inesperado. Havia muito vento naquela noite e levamos sorte pois os organizadores ficaram com medo da chuva e distribuiram capas de chuva, que acabaram sendo a nossa salvação contra tanto vento! Apesar dos pesares foi muito legal ir num cinema assim, em meio à árvores, e a água que batia contra as margens do rio.



 
Mas também fomos andar de bicicleta e quase nos perdemos na floresta, tomamos sorvete, passeamos nas margens do Reno (que lá é muito diferente do que conhecemos por aqui) e também desmontamos a piscina das crianças que estava no jardim. O que não poderia faltar são aquelas comprinhas de souvenirs com todas as banderinhas suíças possíveis, Rivella e muito chocolate!


Ah Suíça, agora tão perto e em breve tão longe! Vai fazer muita falta!

domingo, 20 de julho de 2014

Um final de semana na Alemanha Oriental

Acabei de voltar de um final de semana super interessante. Acompanhei minha colega numa viagem a trabalho ao leste da Alemanha, a antiga Alemanha Oriental (DDR). Fomos visitar uma fazenda de biodiversidade da empresa em Quellendorf (Saxônia) onde aconteceria o lançamento de um produto para combate de ácaros na apicultura.
video

A Saxônia é uma região agrícola onde se cultiva principalmente cereais, canola e milho. Os campos enormes e o maquinário moderno mostram a força da agricultura na região. Consequentemente, as cidades e vilas são uma calmaria, ainda mais em época de colheita como agora.



Depois do evento em Quellendorf, fomos para Leipzig conhecer a cidade antiga e o maravilhoso zoológico da cidade.


Apesar do muro de Berlim ter caído há quase 25 anos, ainda é muito clara a influência daqueles tempos nas pessoas, na cultura, na arquitetura, etc. Durante a Guerra Fria, os alemães orientais foram forçados a se tornaram um sociedade socialista. Apesar de admirarem e sonharem com o mundo exterior, a personalidade das pessoas era socialista: todos ajudavam a todos. Assim o bom caráter ficou gravado no DNA do povo do leste alemão, coisa que se percebe imediatamente diante da simpatia das pessoas. A história desta Alemanha está nas ruas e na arquitetura das cidades até hoje.


Adoro observar pessoas e, dado pelo penteado ou pelas roupas nos "alemães orientais", parecia que o tempo havia parado e que as fotos que via no meu livro de alemão lááá na década de 90 tinham ganhado vida! Super engraçado!

Depois da reunificação das duas Alemanhas, muito dinheiro foi investido no leste, já que o socialismo havia praticamente quebrado o país. Durante o nosso final de seman por lá minha colega ficou doente foi parar na emergência de um hospital em Dessau morrendo de medo das condições que encontraria no mundo isolado da "Alemanha Oriental" Felizmente ela voltou muito satisfeita falando que foi super bem atendida e que aquele hospital era muito melhor do que muitos hospitais da nossa região. Também ficamos impressionada com a qualidade das estradas rumo ao leste da Alemanha. Até brincamos que percebemos nitidamente quando se chega na antiga DDR (Alemanha Oriental). Claro que era ironia e estávamos completamente enganadas por termos rotulado o leste alemão como rural e sem infraestrutura.

Aos 20 anos de reunificação da Alemanha escrevi um post bem completo sobre o assunto. Vale a pena reler: Reunificação alemã - 20 anos

quinta-feira, 3 de julho de 2014

sábado, 21 de junho de 2014

Mamma Mia Musical

Eu adoro o ABBA e havia algum tempo que queria ir no Musical que está em cartaz em Stuttgart há anos. Falei com a Nicole e ela topou na hora de ir comigo e ainda levou a mãe dela!


Fiquei meio decepcionada porque todas as músicas foram cantadas em alemão - lógico, um musical na Alemanha vai sei em alemão para que as pessoas entendam a história. Mesmo assim foi o máximo! O espetáculo durou quase 3 horas com uma pausa no meio (coisa de alemão) e no final tava eu e a mãe da Nicole curtindo o bis a la ABBA. Muito legal!

Acho que nasci na década errada :)




segunda-feira, 2 de junho de 2014

Canadá 2014


Há quase 6 anos fui à Vancouver e foi quando eu decidi fazer um blog pra guardar as lembranças daquele tempo tão bom que passei  por lá. 

Em 2014, aproveitei que meu pai e a Marga foram passar uma temporada em Montreal e voltei por 10 dias a este país tão maravilhoso. Mas agora na parte francesa do país!
Montreal é uma cidade toda cheia de charme, mesmo com seus muitos mendigos, inclusive aquele com a Heidi! As pessoas são super simpáticas e prontas a ajudar. Está perdido no metro? É bem provável que alguém te ajude com aqueele sorriso no rosto. Super cativante. 



Durante o voo Philadelphia-Montreal, conheci um malaio que vive no Canadá há mais de 30 anos. Ele me falou que 60% do salário dele é descontado todo mês! Além disso, tudo é muito caro no Canadá: sobre os produtos de mercado e restaurante, ainda tem o tal 15% de imposto (10% federal e 5% estadual) que não está embutido. É tudo muito caro, muito imposto! E isso que a infraestrutura e o suporte ao habitante do país nem é assim tão excepcional. O transporte público em Montreal é ótimo, mas ouvi dizer que nas outras partes do estado os ônibus não passam com tanta frequência. As escolas são públicas, mas todas as universidades são pagas.  


Apesar de ter ficado numa região meio feia e de ter visto pessoas se drogando, nunca ninguém me ameaçou, por isso Montreal me pareceu segura. Sobre a saúde não posso opinar.


Como fiquei 7 dias em Montreal, andei pela cidade inteira sem correria e praticamente sem horário pra fazer nada. E são tantas as coisas pra ver em Montreal que uma semana é quase pouco tempo. No final de semana fez muito sol e visitamos a Notre Dame, old Montreal, Old Port, Mercado Municipal. Aproveitamos a entrada liberada nos museus no domingo (25) e visitamos o museu da história do Canadá, Museu de Belas Artes na Place das Artes e Museu de Are Contemporânea. Durante a semana o tempo piorou e andamos muito pela impressionante cidade subterrânea de Montreal. Mas como mesmo com tempo ruim ainda tinha muita coisa pra ver: Botanical gardens, Biodome, Chinatown, Saint Joseph's Oratory,  Parc Jean-Drapeau e até andamos a pé no no circuito de formula 1 de Montreal! Um espetáculo a parte é o Parc Mont Royal, desenhado por Frederick L Olmsted, o desenhista do Central Park entre outros parques nos EUA, que leva o nome da cidade, Mont-Royal ;-)















Falando em espetáculo, a atração  da semana foi a nossa ida ao novo espetáculo do Cirque du Solei: Kurius! Que experiência! Quanta criatividade, quanta coisa linda de uma vez só: música, dança, figurino, malabarismo, equilíbrio,.. circo! O Cirque du Solei começou em Montreal e por isso é quase que obrigatório assistir um espetáculo em uma visita à cidade.. Ouvimos dizer que os shows andavam decadentes, mas que com o Kurius eles conseguiram voltar a encantar seus espectadores.

 
Também visitamos Quebec City no último final de semana. Ficamos numa área bem histórica, e por isso muito turística e não conhecemos a parte mais moderna da cidade. Quebec city é beeem menor do que Montreal e lá, fora da área turística, só se fala francês mesmo.

Engraçado mesmo são os próprios quebequianos tirando sarro do ponto turístico mais fotografado de Quebec city ser um hotel (Chateau Frontenac). “Je me souviens” está escrito por todo lado no estado de Quebec e significa “eu me recordo/eu me lembro”. Segundo o guia os militares usam essa frase querendo dizer que eles se lembram do passado, da guerra, do sofrimento, e que estão alertas pra que isso não aconteça novamente. Por outro lado, a população interpreta essa frase de uma maneira diferente, significando que eles se lembram da cultura, da língua e que buscam manter os bons costumes do passado.






Esperamos a semana toda para comermos a tal comida típica do Canadá num dos restaurantes mais antigos do país. Comemos bisão cão molho de blueberry, tourtiere - uma torta típica com carne selvagem e de sobremesa uma torta de maple syrup. Uma comida forte para o inverno rigoroso de Quebec. Mas uma delícia!

Falando em inverno, estávamos lá agora na primavera e a previsão era de sol, mas em um dos dias que passamos lá quase congelamos com o vento cortante que “encanava” nas ruazinhas da cidade histórica. O vento com certeza baixou a sensação térmica em uns 10°C. No dia seguinte, sem vento, quase passamos calor com o céu sem uma nuvem!

Voltamos pra Montreal no domingo no final da tarde e ainda tivemos tempo de ver o por do sol no old port em Montreal. Últimos momentos no Canadá...








No dia seguinte cedinho o pai foi me levar no aeroporto e a viagem caótica de volta pra casa começou. Entrei nos dois voos (Montreal e Philadelphia) já na ultima chamada e passei a noite com uma família de 4 crianças, um pai despreocupado e uma mãe estressada gritando na minha cabeça. Sorte que o avião estava vazio e achei 3 poltronas pra eu me esticar um pouco. O voo é super curto (7hs) e dormi muito pouco. Como chegaria às 6hrs em Frankfurt, não peguei férias para o dia de chegada. O que não imaginaria é que o final de viagem seria tão difícil: minha mala não veio no mesmo avião que eu. Pra completar, tinha deixado meu chaveiro com todas as minhas chaves dentro daquela mala. Por sorte o dono do meu apto estava em casa quando liguei e ele veio abrir a porta pra mim. Aqui tinha uma chave extra do apto e do carro que tinha ficado na estação de trem em Limburgerhof. E lááá vai a Nina pegar ônibus, buscar o carro, ir trabalhar e voltar a realidade... porque no final de tudo vale a pena!

sábado, 17 de maio de 2014

Julia & Romeo - Royal Swedish Ballet

Fiquei sabendo desse espetaculo por acaso quando minha colega me ofereceu os ingressos que ela havia comprado mas nao poderia ir pois estaria viajando. Eu logo me interessei mas fui ao espetaculo meio sem saber direito o que me esperava. 
Romeu e Julieta em versão de dança, como é que vai ser isso? Além do que, espetáculo de dança aqui se chama "Ballet", e eu estava esperando bailarinas em tutu cor de rosa. Logo no começo da noite já percebi que seria um ballet moderno, onde o coreografo usou até 5-6 bailarinos andando de Segways! Também me arrependi um pouco por não ter lido um resumo da história antes do espetáculo.


Um espetáculo apresentado por mais de 20 bailarinos acompanhados pela Deutsche Phillarmonie Rheinland-Pfalz tocando P. Tschaikowsky.

domingo, 11 de maio de 2014

Europawahl 2014

Lá no meu tempo como Au pair, comentei em um post sobre a eleição de representantes para o parlamento europeu - a Europawahl. E sim, já se passaram 5 anos, eu ainda estou na Alemanha posso exercer meu direito como cidadã europeia. Como não vou estar aqui no dia da eleição (25.05.2014), pedi pro cartório eleitoral me enviar as cédulas para a votação por carta. Como também haverá eleicoes municipais e estaduais, recebi cedulas de todas as cores e tambem instrucoes de como proceder com a votacao por carta.


Aqui se pode votar apenas no partido, como também em pessoas. Como preparação e confirmação do meu voto, usei o Wahl-O-mat, um site onde se responde 38 perguntas gerais sobre a sua opinião pessoal em diversos assuntos e no final se pode comparar a sua opinião com a opinião de diversos partidos. Desta vez nenhum partido se equiparou 100% a minha opinião, por isso escolhi o partido de sempre.

Depois de todos os X's feitos, cada cédula vai dentro de um determinado envelope que vai pra urna, que vai dentro de outro envelope de envio.

domingo, 4 de maio de 2014

Matando as saudades de Mülheim

O feriado do dia primeiro de maio de 2014 foi super especial. Fui à Mülheim, cuidei da kleine Ida, matei as saudades dos meus amigos da Uni, da minha família adotiva e da querida Heimaterde que me acolheu tão bem durante os dois anos de mestrado! Até dá um aperto no coracao de pensar que logo nao vou estar mais tao perto de uma viagem de final de semana pra afofar aquela gostosura da Ida nao vai mais ser possivel.


Mas enfim, aproveitamos bastante os dias juntos! Fomos no Zoologico Duisburg, jantamos num restaurante super gostoso, passeamos no parque em Oberhausen, fomos no parquinho.... coisas pra entreter criancas :-)

terça-feira, 22 de abril de 2014

Páscoa na Holanda

Páscoa é época de se passar em família. Como o Gui está morando na Holanda e eu passo a Páscoa "sozinha" desde 2009, decidi ir visitá-lo no longo final de semana. Aproveitei que meu colega holandês também estava querendo visitar os pais dele e levei ele comigo pra me fazer companhia na viagem. São 400 km de Neuhofen até Wageningen, cidade onde o Gui mora, e levei 5 horas até chegar lá. Super cansativo mas até que o tempo passou rápido.

O Gui já estava me esperando na porta de casa, hehehe. Conheci o prédio dos estudantes, o corredor onde ele mora e alguns dos seus moradores. A maioria super jovem... nem sabia que gente que nasceu em 1995 já está na Universidade. Será que tô ficando velha? :D

Ainda naquele dia ainda saímos para conhecer Wageningen, a famosa cidade pra onde alguns dos meus colegas vão regularmente conversar com as autoridades ambientais holandesas. Fazia um vento terrível mas mesmo assim passeamos pela Universidade e depois fomos conhecer o centro (ho ho ho) e fizemos compras no mercado mais famoso da Holanda: o Albert Heijn - quase um ponto turístico de Wageningen, hehe. Mas como na Holanda tem muito mais lugares para ser explorados, fizemos um super tour nos dois dias seguintes. 

Primeira coisa a fazer no dia seguinte, foi ir na feirinha comprar stoopwafel e queijo holandês! Em seguida saímos de Wageningen em direção ao Groene Hart (coração verde) da Holanda, região também conhecida por seus vários moínhos de vento. Logo que vimos um dos primeiros moínhos, entramos numa cidadezinha para procurá-lo. De repente lá estava ele iluminado pelo sol e rodeado por canal. Lindão!

 
Leiden fica quase na costa do país, entre Roterdam e Haarlem, e é muito fofa! Entramos na cidade por uma região dos canais que parecia uma mini Amsterdam. Tá certo que andar de carro naquelas ruazinhas é um saco mas que é bonito, isso é! A nossa intenção era locar bicicletas, mas chegamos tarde e todas já estavam locadas. Então depois de almoçarmos no centro do Leiden (nas margens do canal com vista para um moínho), fomos atrás dos campos de tulipa de carro mesmo. Esse sempre foi um sonho meu e uau, é muito lindo! O colorido das flores nos intermináveis campos é uma vista incrível.
 
 
Por um lado foi uma pena não termos conseguido bicicletas porque não tem programa mais holandês do que andar de bicicleta por entre os campos de tulipa. Mas por outro lado, chegamos lá super rápido e ainda tivemos tempo de seguir viagem até a costa. Visitamos uma cidade chamada Noordwijk que, levando em consideração os hotéis da beira mar, parece ser muito movimentada na alta temporada. Só que praia no Mar do Norte é meio presepada: o vento é muito forte e a água muito gelada! Mesmo assim tem gente que adora ir pra costa da Holanda nas férias. Nós passamos só algumas horas ali só pra conhecer mesmo e depois voltamos para Wageningen pra fazermos o nosso tão esperado jantar - churrasco, maionese, farofa e salada! Dormimos felizes!


A primeira coisa que fizemos no domingo de Páscoa foi dormir até tarde e a segunda foi tomar um super café da manhã :)
O destino do dia era o noroeste da Holanda, ao norte de Amsterdam. O Markenmeer é um lago de águas rasa (3 - 5 m) que é usado como reservatório de água doce e proteção contra enchentes e secas e é dividido do IJsselmeer por um dique. Foi por cima desse dique  e depois por uma estradinha muito pitoresca que passamos para chegar a Alkmaar, cidade famosa por suas feirinhas de queijo holandês. Infelizmente domingo de Páscoa não é dia de feirinha e perdemos essa chance, mas a cidade é cheia dos canais e também muito parecida com Amsterdam.
 

Como não bastavam os moínhos que havíamos visto no dia anterior, fomos a Zaanse Schaans, vila a qual visitei na minha viagem a Amsterdam em 2009. Nesta vila existem algumas casas típicas, museus e visitação em moínhos, lojinhas de souveniers, restaurantes,... tudo bem arrumado no estilo típico holandês. 



No caminho de volta pra casa o dia já estava anoitecendo mas decidimos jantar em Utrecht. É uma cidade interessante, relativamente moderna mas mesmo assim com seus canais e arquitetura antiga. Jantamos muito bem num restaurante italiano nas margens de um canal e depois fizemos um tour noturno (Trajectum Lumen) pela cidade, uma rota sinalizada nas calçadas da cidade que leva aos monumentos ou pontos turísticos iluminados.

Finalmente, no meu último dia na Holanda fizemos um passeio de bicicleta por Wageningen. O vento e a garoa não ajudaram muito mas mesmo assim valeu a despedida. 

Visitamos lugares lindos, comemos super bem (até churrasco!), andamos de bicicleta, vimos tulipas, o mar e tivemos muita sorte com o tempo. Foram quase 1500km em quatro dias, mas valeu muito a pena. O Gui que me aguarde porque eu voltarei! :)

domingo, 13 de abril de 2014

Pronta para uma reforma!

Foi no ano passado que descobri uma série de cursos na Abendakademie (tipo uma Volkshochschule, ou SENAI no Brasil) em Mannheim que ensinavam a resolver problemas diversos que acontecem frequentemente em qualquer domicilio. Eu sempre tento meter a mão onde nem sempre devo e, antes de fazer alguma cagada, decidi aprender algumas coisas básicas pra pelo menos diminuir as chances de erro.


Escolhi um curso pra quem está fazendo reforma e aprendi a recapar cadeiras, a montar um armário e deixar as portas retas, a colocar papel de parede, a pintar parede e também a colocar piso laminado ou carpet. 

Praticamos um pouco com material que estava à disposição, mas imagino que na vida real as coisas sejam um pouco mais difíceis. O interessante mesmo foi aprender o básico sobre ferramentas e receber as dicas pra evitar erros bobos como: cortar o laminado do lado errado ou querer economizar no isolamento acústico que vai em baixo dele.

Enfim, agora só faltam as ferramentas e a casa pra reformar!